terça-feira, 10 de julho de 2007

Sobre lixo nas ruas...

Pisando de papel em papel senti saudades da calçada, e deparei-me cercado de irregularidades cujas quais a sociedade acabou se adaptando. Vi-me cercado de poluição. Então falemos sobre o lixo nas ruas...

O lixo do lixo do presidente falando lixo no lixo da televisão!

E nós falamos sobre o lixo nas ruas...

Proíbem a droga... a cola que é a única droga que aquece o menino de rua, que o faz esquecer da fome, do frio e das dores; não o agasalham, mas batem nele quando é pego em flagrante.

A cidade esta soterrada por papéis de bala, cigarro, sacolas, latas e garrafas, mas ainda não entenderam que se necessita da implantação de lixeiras nas ruas, em todos os quarteirões.

Eles não têm competência para arrumar o próprio quarto, porque acreditar que seriam capazes de organizar a cidade? Inocência ou burrice?

Ah... Mas espera ai. Não estão de braços cruzados. Eles sim fizeram algo em prol da cidade: implantaram a lei “cidade limpa”, que bonito, que maravilha, tudo bem que não identificamos mais nada, que São Paulo foi perdendo sua cor, tudo bem que não adianta mais construir o sonho de uma empresa e com orgulho gravar seu nome no topo do prédio, tudo bem que tudo fica mais feio com a marca das placas, as ferragens expostas dos outdoors, a marca de tinta e sujeira por de trás de cada letra das propagandas, mas agora a cidade está limpa! Vermes insolentes. Vamos sorrindo dessa piada antes que meu corpo vire lixo no chão.

Descobri que o lixo não esta nas ruas, mas no poder, nas câmaras, no senado, na presidência, no governo. O lixo das ruas vota e coloca no poder alguém que lê “Santander Banespa”, e pronuncia “Santo André du Banespa”. Burro seria quem erra como todo ser humano que tem o direito de errar ou seriam os cretinos que escolhem por livre e espontânea vontade ser representado por um troglodita desse?

Sobre lixo nas ruas...

Cidade limpa! Querem desabrasileirar o meu Brasil!!! Na minha São Paulo os feirantes gritam, as ruas tem placas e cartazes, as luzes falam por minha São Paulo, mas meus filhos não verão isso, não viverão isso.

Quem tiver berço, educação, cultura e respeito ainda prefere andar horas com o lixo nas mãos caçando uma bendita lixeira. O resto o deixa escapar de suas mãos, embelezando mais ainda nossas ruas e praças...

Uns amam a cidade, outros nunca vão entender o que ela significa.

Os que a prezam a embelezam de verdade, artistas fazem graffiti, vândalos pixam.

Artistas fazem a poesia nos faróis da cidade com seus malabares e skates enquanto os vermes espalham o medo do perigo do assalto.

Falar sobre o lixo nas ruas... Melhor simplesmente deixar de falar, afinal de contas, nada é construído para virar lixo e ainda não aprendemos o valor de se cuidar disso.

Nenhum comentário: